01/03/2021 às 15h00min - Atualizada em 01/03/2021 às 15h40min

A literatura LGBT brasileira é escassa em romances do gênero ficção

Há uma falta de romances ficcionais na literatura LGBT brasileira, como dramas, policiais, ficção científica, terror. A maior parte dos livros que tratam de temas LGBT traz questões políticas, jurídicas, relatos de casos verídicos de abuso e a eterna questão do "sair do armário"

DINO
http://www.bradcrowley.com.br
Imagem genérica


Nos últimos anos o tema da diversidade tem sido muito abordado em diversos meios. Como parte deste universo, não se pode deixar de considerar as belas letras. A literatura LGBT no Brasil é escassa em romances do gênero ficção, de acordo com Antônio de Pádua Dias da Silva.

O tema literário LGBT no Brasil é relativamente recente. Começou a criar vulto com a maior exposição do grupo no início do século XXI, notadamente com a divulgação de paradas gays, a infiltração proveniente da cultura norte-americana e europeia, fruto da globalização, e o apoio dado por certos setores do universo político.

Por ser o início de um novo movimento societário, é natural que o que acontecia na sociedade se refletisse na literatura. A sociedade se encontrava em momento de forte mudança, havia uma tendência à inclusão do grupo LGBT na coletividade. Desta forma, o Zeitgeist tinha um viés político, sociológico, acadêmico.

Esses dados encontram respaldo no estudo do acadêmico Antônio de Pádua Dias da Silva - A história da literatura brasileira e a literatura gay: aspectos estéticos e políticos, assim como em pesquisa do Guia do Estudante: e também em uma simples busca em plataformas que elencam livros LBGT disponíveis.

Em vista disso, começaram a aparecer publicações sobre o tema LGBT de cunho não ficcional, de cunho oficial e público. A maior parte dos livros que tratavam do tema LGBT no Brasil tinha esse viés político, histórico, beligerante, combativo, e com postura muitas vezes hostil e de vitimização. Pouco havia de literatura nos vários gêneros da ficção, como dramas, romances policiais com protagonistas LGBT, o mesmo podendo ser dito para a ficção científica, o terror, a comédia. O pouco de ficcional que havia pertencia ao gênero homoerótico.

Pode-se dizer que de algum tempo para cá, não é possível precisar – algo como nos últimos cinco ou dez anos – desde quando esse cenário vem mudando. Começou a aparecer literatura relacionada a vários gêneros de ficção no âmbito LGBT. 

Hoje é possível afirmar que essa realidade mudou bastante. Talvez não tanto ainda como seja desejável, ainda há uma grande escassez no mercado de bons livros no contexto da literatura LGBT que não insiram fortemente uma orientação que leve à aquisição de direitos, à “saída do armário”, à legislação e ao palanque político. Contudo, já se pode dizer que se multiplicam as obras ficcionais dentro da literatura LGBT. Ainda há um caminho muito distante entre a realidade norte-americana ou europeia, mas largos passos já foram dados e o novo caminho está sendo trilhado velozmente.

É possível que, em breve, o leitor ávido por uma boa história de temática LGBT possa encontrar farta escolha em língua portuguesa e de autores brasileiros que reflitam e mostrem a realidade quotidiana LGBT brasileira.

Referências: pesquisa no Guia do Estudante: https://guiadoestudante.abril.com.br/estudo/12-livros-para-estudar-a-historia-do-movimento-lgbtqia/

Busca em plataforma: https://www.amazon.com.br/s?k=lgbt+no+brasil&i=stripbooks&__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&ref=nb_sb_noss_1



Website: http://www.bradcrowley.com.br
Notícias Relacionadas »
Comentários »